segunda-feira, 17 de setembro de 2018

13ª Feira Bíblica do Vicariato Oeste

Neste sábado, 15 de setembro, a Paróquia Nossa Senhora de Fátima e São João de Deus (Jardim Novo – Realengo), acolheu a Feira Bíblica 2018 do Vicariato Oeste.

O pároco, Padre Renan Féres, abençoou e deu início à feira.

Com o tema “Os esquecidos do Evangelho”, as paróquias do vicariato expuseram seus trabalhos e também encenações com o foco em personagens bíblicos auxiliares.
13ª Feira Bíblica Oeste
O evento foi encerrado com a Santa Missa celebrada pelo Padre Felipe Lima, vigário episcopal do Vicariato Oeste e concelebrada pelo Padre Renan.
Missa Feira Oeste
Agradecemos a todos os catequistas e catequizandos pelos lindos trabalhos realizados.

Fotos: Assis Freitas

quarta-feira, 12 de setembro de 2018

A catequese não pode falhar

Cardeal Odilo Pedro Scherer
Arcebispo de São Paulo (SP) 

Na última semana de agosto, está em destaque a vocação dos cristãos leigos e as muitas maneiras como eles participam da vida e da missão da Igreja. A Igreja é formada por um imenso “povo de batizados”, um “povo de vocacionados”, em que cada um recebeu de Deus um dom para o seu próprio proveito, mas também para o proveito da Igreja inteira. Recebemos os dons em função de missões que devemos cumprir.
Dois são os vastos campos da vida e da missão da Igreja onde os leigos são chamados a participar: na vida interna da Igreja, eles exercem diversos ministérios não ordenados e também partilham, com o clero, as responsabilidades pelo anúncio do Evangelho, a organização dos vários serviços nas comunidades e o testemunho da vida cristã.
O outro vastíssimo campo da missão dos leigos é o “mundo secular”, onde eles são cidadãos ao lado dos demais cidadãos, encarregados de promover a “obra boa” em relação à vida familiar e matrimonial, à educação, à cultura e ao trabalho profissional, às responsabilidades públicas e políticas. Os leigos são mensageiros do Evangelho pela palavra, a ação e o testemunho nos ambientes do “mundo”, onde a Igreja não está presente como instituição.
Os cristãos leigos têm a missão, em nome da Igreja, de edificar o mundo conforme o reino de Deus. Em todas as instâncias da vida e da atividade humana em que estão inseridos, eles devem fazer levar a luz, o sal e o fermento do Evangelho de Cristo. São testemunhas de Deus e ajudam as pessoas a se encaminharem para Deus. E cabe-lhes a missão nada fácil de fazer a síntese entre a fé professada e a vida de cada dia.
Entre os leigos que desempenham serviços na vida interna da Igreja lembramos especialmente os catequistas. Eles têm a missão de ajudar os irmãos na iniciação à vida cristã e na fé da Igreja Católica. São pedagogos da fé, que ajudam crianças, adolescentes, jovens e adultos a conhecerem os mistérios da fé e da vida cristã e os introduzem, pouco a pouco, na vida da comunidade eclesial.
A fé e a vida cristã despertam do encontro com Deus e com Jesus Cristo Salvador e, por isso, a ação dos catequistas tem o objetivo de ajudar as pessoas a terem esse encontro com Deus através do conhecimento das verdades da fé e através da prática cristã. Os catequistas ajudam a fazer a experiência da fé vivida, conforme o convite do salmo: “provai e vede como o Senhor é bom!” (Sl 33/34).
A catequese é um aspecto fundamental da evangelização e não pode faltar em nenhuma paróquia ou comunidade cristã. Ela possui diversos momentos, que vão do “primeiro anúncio”, ou querigma, ao aprofundamento do conhecimento e da adesão de fé, e deve levar à maturidade da fé, que se traduz na vida cristã coerente e na prática das virtudes e das bem-aventuranças. De fato, a catequese continua ao longo de toda a vida e requer sempre novos aprofundamentos diante das situações e circunstâncias novas da vida.
A boa catequese não pode ater-se apenas ao conhecimento intelectual da fé e da religião, mas precisa ser orientada necessariamente à prática da vida cristã: deve levar à oração, nas suas múltiplas formas; à vida moral coerente com os mandamentos de Deus e com os ensinamentos de Jesus; deve levar à prática das virtudes, à vida honesta e ao envolvimento social para a edificação do mundo “conforme Deus”. A catequese deve também levar à participação ativa e generosa na vida e na missão da comunidade cristã. O caminho da catequese não pode deixar de ser um caminho paciente e perseverante de inserção na comunidade eclesial, onde os católicos se sentem como em sua casa e em sua família. Por isso, a catequese não pode deixar de apresentar uma boa e correta visão da Igreja de Cristo, da qual os catequizandos também são parte e devem sentir-se participantes. A catequese seria muito incompleta se não conseguisse transmitir também um amor sincero e filial à Igreja.
O sínodo arquidiocesano que estamos realizando deverá fazer uma boa avaliação sobre a situação real da catequese em nossas paróquias e comunidades. A catequese é uma ação prioritária da Igreja e deve merecer o melhor de nossas atenções. Se ela for falha, estaremos colocando seriamente em risco o futuro da evangelização e da transmissão da fé cristã.

Fonte: http://www.cnbb.org.br/a-catequese-nao-pode-falhar/

quarta-feira, 5 de setembro de 2018

Comissão da CNBB disponibiliza “pílulas” sobre o livro da Sabedoria para reflexão durante o Mês da Bíblia

“A sabedoria é um espírito amigo do ser humano”. Este é o lema escolhido para este mês de setembro de 2018, quando a Igreja no Brasil celebra mais um Mês da Bíblia. O livro da Sabedoria foi o escolhido para auxiliar as reflexões e aprofundamento da leitura bíblica. Para contribuir neste processo, a Comissão Episcopal Pastoral para a Animação Bíblico-Catequética da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) também disponibiliza, desde o dia 1º de setembro, “pílulas diárias de Sabedoria”.
São áudios de um minuto e meio a dois minutos que oferecem uma passagem do livro da Sabedoria e uma reflexão que relaciona o trecho bíblico com outras leituras da Palavra.
O material foi preparado pelos autores dos subsídios oferecidos pela Comissão para este mês da Bíblia. A gravação conta com a locução do assessor da Comissão para a Animação Bíblico-Catequética, padre Antônio Marcos Depizzoli. A edição ficou por conta da equipe da Assessoria de Imprensa da CNBB.
Padre Antônio Marcos (à esquerda) e o produtor audiovisual da CNBB, Matheus de Souza

“Desde 1971, a Igreja no Brasil vivencia, em setembro, o Mês da Bíblia. Nesse ano, oferecemos uma outra possibilidade de mergulho no texto bíblico, que estamos chamando de ‘pílulas diárias de sabedoria’”, ressalta padre Depizzoli. As “pílulas”, continua, foram preparadas a partir do Texto Base. “É uma ação a mais para ajudar a conhecer o Livro da Sabedoria”, sugere.
Na plataforma SoundCloud há uma playlist criada para quem desejar acompanhar toda a série. A cada semana, serão adicionados novos áudios para aprofundamento sobre o livro da Sabedoria.

Fonte: http://www.cnbb.org.br/comissao-disponibiliza-pilulas-para-reflexao-durante-o-mes-da-biblia/

segunda-feira, 3 de setembro de 2018

Mês da Bíblia

D. Orani João Tempesta
Cardeal Arcebispo do Rio de Janeiro

O mês de setembro é um dos meses temáticos, o que significa além dos temas que a própria liturgia traz em cada domingo e celebração, a existência de um assunto que nos ajuda a refletir sobre nossa caminhada de fé.
Aclamado como Mês da Bíblia, este mês quer nos ajudar a aprofundar o amor pela Sagrada Escritura e a situar a centralidade da Palavra de Deus em nossas vidas, seja pela reflexão e estudo, seja pelas celebrações.
É evidente que a Palavra de Deus é a luz de nosso caminho e está presente em todos os sacramentos que celebramos, em cada missa ou celebração da Palavra que temos, além, é claro, da oração diária, reflexão e leitura.
A leitura orante da Bíblia com o método “ler, meditar e orar” faz parte dos ensinamentos dados a todos os cristãos, e com bastante insistência, desejando que seja o alimento diário.
O Mês da Bíblia surge devido, principalmente, à comemoração do Dia de São Jerônimo, celebrado no dia 30 deste mês. Ele foi encarregado pelo Papa Dâmaso de preparar a Bíblia em latim, revendo traduções anteriores ou fazendo novas. Lembremos que São Jerônimo viveu entre 340 a 420, portanto, na segunda metade do século IV e início do século V. O Papa Dâmaso morreu em 385, e São Jerônimo iniciou uma série de viagens ao Oriente, passando grande parte em Belém, entregue totalmente à tradução e comentário da Sagrada Escritura. Além de sua vida austera, coerente e santa, é tido como um dos melhores padres da Igreja e colocado como ‘patrono dos biblistas’.
É por isso que o quarto domingo deste mês é o domingo da Bíblia. Normalmente seria o domingo mais próximo da Festa de São Jerônimo. É quando, ao comemorarmos o Dia da Bíblia, fazemos nosso exame de consciência e os propósitos com relação não só à leitura, mas, principalmente, de colocarmos em prática a Palavra do Senhor, guiados pelo Espírito de Deus.
Cada ano a nossa Conferência Episcopal sugere um trecho específico para ser a reflexão do mês. De certo modo esse tema do mês sempre tem algo a ver com a Campanha da Fraternidade que, de uma forma ou outra, condiciona os temas do ano. O tema sugerido para nós neste ano é “Para que n’Ele nossos povos tenham vida – A sabedoria é um espírito amigo do ser humano’.
A reflexão desse tema é um bom alimento para nossa vida de cristãos presentes em uma sociedade tão cheia de questionamentos. Mas ainda se aproveita deste mês para dar os primeiros passos no encontro com a Palavra de Deus para muitos que se encontram dela afastados. Palavra que nos vêm pelas Escrituras e Tradição Apostólica, servidas pelo magistério da Igreja. Para isso, as reuniões que fazemos neste mês nos círculos bíblicos querem também nos ajudar nesse sentido, além, é claro, de suscitar nas pessoas o desejo de continuarem a se reunir em torno da Palavra de Deus ao menos uma vez por semana em suas pequenas comunidades.
Passado e presente muito unidos na Igreja! Preocupações de ontem e de hoje continuam dando lugar central à Palavra de Deus na vida e na missão de todos nós! Aproveitemos este mês para aprofundar tão importantes temas.

Fonte: http://arqrio.org/formacao/detalhes/2325/mes-da-biblia

sexta-feira, 31 de agosto de 2018

Começou hoje o Círio de Nazaré

De 31 de agosto a 2 de setembro, o Rio de Janeiro estará recebendo a visita da imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré, a padroeira do povo paraense e a Rainha da Amazônia. A 10ª edição do Círio de Nazaré Rio, como ficou conhecido, tem como tema neste ano: “Uma jovem chamada Maria”.
A primeira visita da imagem peregrina no Rio aconteceu em 2009. Foi uma iniciativa da diretoria do Círio de Nazaré, de Belém, com o apoio do então arcebispo de Belém, Dom Orani João Tempesta, depois arcebispo do Rio, de visitar as capitais do Brasil, que depois se expandiu para outras cidades e regiões.

Saquarema
Pelo que se tem notícia, a devoção a Nossa Senhora de Nazaré chegou ao Estado do Rio de Janeiro no dia 8 de setembro de 1630, após uma grande tempestade. Um pescador saiu para ver suas redes no mar de Saquarema e, ao passar diante de um morro, onde hoje está erguida a Igreja dedicada a Nossa Senhora de Nazaré, viu uma forte luz e foi verificar o que era. No local do brilho, ele encontrou a imagem da Virgem Maria e levou para casa. No dia seguinte, a imagem reapareceu no local onde havia sido encontrada. Isso aconteceu por duas vezes. Todos entenderam que era para construir uma capela naquele local. Muitos milagres aconteceram a partir de então, e a capela ficou pequena, sendo necessário construir uma igreja bem maior.

Belém do Pará
A Festa do Círio de Nazaré em Belém do Pará, na região Norte do Brasil, foi precedida pela Vigia de Nazaré. Porém, ela tornou-se conhecida e celebrada como solenidade em Belém do Pará desde 1793, e hoje, conta com a participação de mais de 2 milhões de pessoas no segundo domingo de outubro. Mas ao todo são 12 procissões (romarias) durante o mês de outubro que marcam a vida, a fé e a cultura paraenses. O nome Círio vem das velas que acompanham a procissão, hoje a da transladação no sábado à noite. Círio é uma palavra que significa vela grande. A devoção à Senhora de Nazaré iniciou-se com o encontro da imagem pelo jovem Plácido. Até hoje essa imagem se encontra na Basílica Santuário, como testemunho de um povo devoto, e se tornou a maior festa católica do mundo dedicada à Mãe de Jesus.

Programação

Sexta-feira, dia 31 de agosto
6h40 - Chegada da imagem no Galeão
7h30 - Recepção na Base Aérea (Oração)
8h30 - Entrega da imagem à Arquidiocese de Niterói
12h - Missa na Catedral de São João Batista, em Niterói
13h30 - Entrega da imagem pela Arquidiocese de Niterói à Arquidiocese do Rio
14h30 - Visita à Dufry do Brasil
15h30 - Deslocamento marítimo para Paquetá
19h30 - Saída de Paquetá

Sábado, dia 1° de setembro
9h - Missa “O Rio Celebra” - Apresentação do bispo coadjutor de Nova Iguaçu, Dom Gilson Andrade da Silva, na Catedral de Santo Antônio, Avenida Marechal Floriano Peixoto, 2.264 - em Nova Iguaçu.
12h30 - Capela Nossa Senhora de Nazaré, Rua São Marcelo, 15 - Camorim.
14h30 - Visita à Paróquia Nossa Senhora do Loreto, Ladeira da Freguesia, 375 - Freguesia
15h30 - Visita à Casa Nossa Senhora de Belém, Rua Edgar Werneck, 217 - Pechincha
16h - Terço no Colégio Santo Antônio, Rua Edgar Werneck, 431 - Pechincha
17h30 - Missa e Crisma na Paróquia Jesus de Nazaré - Rua Ivanildo Alves, 83 - Maré - Bonsucesso
20h - Chegada à Igreja Nossa Senhora de Nazaré, Anchieta (acolhimento, missa e vigília durante toda a noite)

Domingo, dia 2 de setembro
9h - Missa na Igreja São Paulo Apóstolo, Rua Barão de Ipanema, 85 - Copacabana
10h30 - Visita ao Instituto Brando Barbosa (IBB), na Rua Lopes Quintas, Jardim Botânico, com o lançamento do livro ‘Guarda o Círio de Nazaré’, da fotógrafa paulista Soraya Montanheiro.
11h45 - Missa na Basílica Santuário de São Sebastião - Rua Haddock Lobo, 266 - Tijuca
13h30 - Visita ao Centro de Tradições Nordestinas, São Cristóvão
15h30 - Visita à Capela Nossa Senhora de Nazaré, Praça Amazônia, s/n - Cacuia
17h - Chegada na Paróquia Nossa Senhora de Nazaré e Santos Mártires Ugandenses, Acari (MiniCírio, em seguida missa)

Foto: Gustavo de Oliveira

Fonte: http://arqrio.org/noticias/detalhes/6925/rio-recebe-visita-da-padroeira-dos-paraenses

quarta-feira, 29 de agosto de 2018

Assembleia do Vicariato Suburbano

18 de agosto, a paróquia São Luiz Gonzaga, acolheu uma manhã muito rica de conhecimentos e partilha onde os participantes renderam muitos elogios, tudo para honra e glória de Nosso Senhor Jesus Cristo!
Encerramos com a distribuição do lanche para os moradores de rua, que foi muito gratificante!

Yara Aquino – Coordenadora do Catecumenato do Vicariato Suburbano

Assembleia Suburbano 2018