terça-feira, 27 de setembro de 2016

Jubileu dos Catequistas

D. Orani João Tempesta
Cardeal Arcebispo do Rio de Janeiro

Com a missa solene do “Rio Celebra” no sábado, dia 24 de setembro de 2016, no Santuário Arquidiocesano da Divina Misericórdia, na Vila Valqueire, celebramos o Jubileu dos Catequistas. Estamos em união com o Papa Francisco, que neste final de semana também acolhe em Roma os catequistas do mundo inteiro para o Jubileu da Misericórdia. Aqui foi uma festa bonita, primeiramente de ação de graças pelo ministério de transmissores e educadores da fé de nossos catequistas, que levam os catecúmenos ao encontro com o Cristo, e nossos jovens e adolescentes a amadurecerem na sua fé e no discipulado de Nosso Senhor Jesus Cristo.  
Ensina o Concílio Ecumênico Vaticano II que: “A pregação apostólica, que se exprime de modo especial nos livros inspirados, devia conservar-se, por uma sucessão contínua, até a consumação dos tempos. Por isso, os Apóstolos, transmitindo o que eles mesmos receberam, advertem os fiéis a que observem as tradições que tinham apreendido, quer por palavras quer por escrito, e a que lutem pela fé recebida duma vez para sempre. Ora, o que foi transmitido pelos Apóstolos abrange tudo quanto contribui para a vida santa do Povo de Deus e para o aumento de sua fé. Assim, a Igreja, em sua doutrina, vida e culto, perpetua e transmite a todas as gerações tudo aquilo que ela é e tudo quanto acredita. Esta tradição apostólica progride na Igreja sob a assistência do Espírito Santo” (Dei Verbum, 8).
O Cardeal Jorge Mário Bergoglio, então Arcebispo de Buenos Aires, em agosto de 2004 endereçou a todos os catequistas de sua Arquidiocese uma carta na qual ele pedia “Audácia e fervor”, “que é obra do Espírito Santo e que nos leva a anunciar, a gritar a Jesus Cristo com toda a nossa vida. É necessária muita audácia e valentia para seguir caminhando hoje, em meio a tanta perplexidade”. (Cf. Anunciar o Evangelho – Mensagens aos catequistas, Jorge Mário Bergoglio, Ecclesiae, 2013, pág. 38). “O fervor apostólico nos ajudará a ter memória, a não renunciar à liberdade, a caminhar como povo da Aliança: ‘Guarda-te de não se esquecer do Senhor que te tirou do Egito, da casa da servidão’. Como os catequistas de tempos difíceis devem pedir a Deus a audácia e o fervor que lhes permita ajudar a recordar! ‘Guarda-te, pois, a ti mesmo: cuida de nunca esquecer o que viste com teus olhos...’ Na memória transmitida e celebrada encontraremos como povo a força necessária para não cair no medo que paralisa e angustia”. (Cf. obra citada, págs. 39-40).

Papa no Jubileu dos Catequistas: O cristão é chamado a fazer a história

Na manhã do dia 25 de setembro, o Papa Francisco celebrou o Jubileu dos Catequistas com uma Missa na Praça de São Pedro, na qual disse aos catequistas do mundo inteiro que “quem vive para si mesmo não faz a história”.
Francisco disse durante a sua homilia que Paulo "recomenda que o nosso olhar se mantenha fixo no que é essencial para a fé, não nos recomenda uma multidão de pontos e aspectos, mas sublinha o centro da fé. Este centro em torno do qual tudo gira e este coração pulsante que dá vida a tudo é o anúncio pascal, o primeiro anúncio: O Senhor Jesus ressuscitou, o Senhor Jesus nos ama e deu a vida por nós. Ressuscitado e vivo, está ao nosso lado e se interessa por nós todos os dias”.
O Santo Padre diz também que neste Jubileu dos Catequistas, “é pedido para não se cansar de colocar em primeiro lugar o anúncio principal da fé: o Senhor ressuscitou”.
“Não existem conteúdos mais importantes, nada é mais firme e atual. Todo conteúdo da fé torna-se perfeito se estiver ligado a este centro, se for permeado pelo anúncio pascal. Se ficar isolado perde sentido e força".
“Anuncia-se Deus, encontrando as pessoas, com atenção à sua história e ao seu caminho. Porque o Senhor não é uma ideia, mas uma Pessoa viva: a sua mensagem se comunica através do testemunho simples e verdadeiro, da escuta e acolhimento, da alegria que se irradia. Não se fala bem de Jesus, quando nos mostramos tristes; nem se transmite a beleza de Deus limitando-nos a fazer sermões bonitos. O Deus da esperança se anuncia vivendo no dia a dia o Evangelho da caridade, sem medo de testemunhar inclusive com novas formas de anúncio”.
Ao falar acerca da parábola evangélica do homem rico, o Papa disse que "nos ajuda a compreender o que significa o amor, especialmente para evitar alguns perigos”.


“Na realidade, este rico não faz mal a ninguém, não se diz que é mau; e todavia tem uma enfermidade pior que a de Lázaro, apesar de este estar coberto de chagas. Este rico sofre duma forte cegueira, porque não consegue olhar para além do seu mundo, feito de banquetes e roupas finas”.
“Não vê além da porta de sua casa, onde jazia Lázaro, porque não se importa com o que acontece fora. Não vê, porque não sente com o coração. No seu coração, entrou a mundanidade que anestesia a alma”.
Em seguida, o Papa sublinhou: “A mundanidade é como um buraco negro que engole o bem, que apaga o amor, que absorve tudo no próprio eu”.
“Quem sofre desta grave cegueira, assume muitas vezes comportamentos ‘estrábicos’: olha com reverência as pessoas famosas, de alto nível, admiradas pelo mundo, e afasta o olhar dos inúmeros Lázaros de hoje, dos pobres e dos doentes, que são os prediletos do Senhor.”
Por outro lado, "na parábola, o homem rico não tem sequer um nome; a sua vida cai esquecida, porque quem vive para si mesmo não faz a história. A insensibilidade de hoje escava abismos intransponíveis para sempre”.
Francisco também disse: “Não sejamos profetas da desgraça, que se comprazem em lobrigar perigos ou desvios; não sejamos pessoas que vivem entrincheiradas nos seus ambientes, proferindo juízos amargos sobre a sociedade, sobre a Igreja, sobre tudo e todos, poluindo o mundo de negatividade. O ceticismo lamentoso não se coaduna a quem vive familiarizado com a Palavra de Deus”.
Pois “quem anuncia a esperança de Jesus é portador de alegria e vê longe, porque sabe olhar para além do mal e dos problemas”, concluiu o Pontífice.

Fonte: http://www.acidigital.com/noticias/papa-no-jubileu-dos-catequistas-o-cristao-e-chamado-a-fazer-a-historia-10512/

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Peregrinação Arquidiocesana dos Catequistas

Neste sábado, dia 24 de setembro aconteceu a Peregrinação Arquidiocesana dos Catequistas por ocasião do Jubileu da Misericórdia.
Os catequistas passaram pela Porta Santa e participaram da celebração eucarística com D. Orani e padres concelebrantes, no Santuário da Divina Misericórdia, em Vila Valqueire.
A data foi escolhida porque exatamente neste mesmo final de semana foi realizado também o Jubileu dos Catequistas em Roma com o Papa Francisco.
A festa foi marcada por profunda alegria e piedade.

Peregrinação dos Catequistas
Clique na seta ao lado das fotos para passar

video

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

16ª Mostra Bíblica do Vicariato Sul

No último domingo, dia 18/09, em uma manhã ensolarada aconteceu a XVI Mostra Bíblica na Paróquia Santa Cecília e Pio X. O tema "Eterna é a Sua Misericórdia" e lema "Felizes os misericordiosos porque alcançarão misericórdia" (Mt 5) foram explorados pelas 22 paróquias do Vicariato Sul.
Cada paróquia apresentou o tema bíblico através de criativos stands, jogos interativos, fantoches, teatros, coral e dança. Catequizandos, catequistas e famílias participaram da abertura com a presença do Pe. Frank, momento dedicado a rezarmos juntos o terço da misericórdia. Pe. Rafael (Paróquia São Paulo Apóstolo) animou as crianças com músicas e brincadeiras.
A Missa foi realizada ao final da Mostra na qual estava presente o Vigário Episcopal do Vicariato Sul Pe. Henrique Diegues (Paróquia São Judas Tadeu), Pe. Frei Roan Ataíde (Paróquia Santa Mônica), Pe. Luiz Carlos  (Paróquia Santíssima Trindade), Pe. Mário Geremia (Paróquia Santa Cecília e Pio X).
Foi uma manhã abençoada!

Ana Claudia Freitas – Coordenadora do Catecumenato do Vicariato Sul

16ª Mostra Bíblica do Vicariato Sul
Clique na seta ao lado das fotos para passar

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

10ª Mostra Bíblica do Vicariato Urbano

Um clima super agradável para mergulhar na Palavra de Deus e se confraternizar ao mesmo tempo! Assim foi a 10ª Mostra Bíblica para a garotada do Vicariato Urbano com Deus, catequistas e familiares. Uma tarde fantástica!

10ª Mostra Bíblica do Vicariato Urbano
Clique na seta ao lado das fotos para passar

17ª Mostra Bíblica do Vicariato Leopoldina

A misericórdia também foi o tema da 17ª Mostra Bíblica do Vicariato Leopoldina que também aconteceu no sábado, dia 17/09, reunindo a Iniciação Cristã de crianças e adolescentes para exposição de trabalhos e apresentações.

17ª Mostra Bíblica do Vicariato Leopoldina
Clique na seta ao lado das fotos para passar