Retiro Arquidiocesano da Iniciação Cristã

Retiro Arquidiocesano da Iniciação Cristã

terça-feira, 15 de setembro de 2015

Cuidemos de nossa casa comum

D. Orani João Tempesta
Cardeal Arcebispo do Rio de Janeiro

Estamos no mês de setembro, Mês da Bíblia, que para nós, no hemisfério sul, é também o mês em que se inicia a Primavera. Embora nem sempre percebamos com clareza as estações do ano devido à diversidade das situações climáticas do país, as primeiras chuvas que começam a cair em nossa região, depois de uma longa estiagem, dão uma esperança de vida que renasce. Aliás, foi exatamente esse o clima da Páscoa celebrada no hemisfério norte, no tempo primaveril. Para nós é também a época em que comemoramos o Dia da Árvore, recordando a nossa responsabilidade para com a criação. Logo no início de outubro, dentro da mesma estação do ano, no dia de São Francisco de Assis aprofundaremos ainda mais a preocupação com a criação, aprendendo do “santo da ecologia”.
Para nós que vivemos em época do Papa Francisco, que publicou a primeira carta encíclica sobre o cuidado da criação – a “Laudato Si’” –, é uma grande responsabilidade como cristãos.
No próximo domingo, dia 20 de setembro, precedendo o início da Primavera e o Dia da Árvore, a Arquidiocese do Rio promoverá um plantio de árvores em paróquias de todos os oito vicariatos, iniciando uma série de plantios durante os próximos meses, coincidindo com o final do Ano da Esperança e início do Ano do Jubileu da Misericórdia. Entre tantas atividades, escolhemos esta que nos ajuda a educar e contribui com a nossa casa comum.
Iniciamos o mês, no dia 1º de setembro, celebrando o Dia Mundial de Oração pelo Cuidado da Criação. A data foi instituída pelo Papa Francisco e tem um sentido ecumênico, já que a mesma é também comemorada pela Igreja Ortodoxa.
Com todas estas iniciativas, o Santo Padre pretende que se ofereça aos fiéis e às comunidades a oportunidade de “renovarem a adesão pessoal à vocação de protetores da criação”, “elevando a Deus o agradecimento pela obra maravilhosa que Ele confiou ao nosso cuidado”.
“Como cristãos, queremos oferecer a nossa contribuição à superação da crise ecológica que a humanidade está a viver. Por isto devemos, antes de tudo, procurar no nosso rico patrimônio espiritual as motivações que alimentam a paixão pelo cuidado da criação, recordando sempre os que creem em Jesus Cristo, Verbo de Deus que se fez homem por nós”, explica o Pontífice.
O Papa Francisco alerta que a “crise ecológica” impele a uma “profunda conversão espiritual” e frisa que os cristãos são chamados a uma “conversão ecológica que comporta deixar emergir, nas relações com o mundo que os rodeia, todas as consequências do encontro com Jesus”, citando a encíclica Laudato Sí’ (217).

De fato, viver a vocação de guardiões da obra de Deus não é algo de opcional nem um aspecto secundário da experiência cristã, mas parte essencial duma existência virtuosa.
O Papa Francisco recorda que vivemos em um tempo em que todos os cristãos enfrentam idênticos e importantes desafios, aos quais, para resultarem mais críveis e eficazes, devemos dar respostas comuns. Por isso, convido a todos para, a iniciar pela Primavera de 2015, ano da Laudato Si’, dar um testemunho concreto com o cuidado da “nossa casa comum”, com o plantio de árvores em toda a nossa grande cidade, que mesmo tendo a maior floresta urbana do mundo, necessita, em muitos lugares, de uma arborização que humanize ainda mais nossa bela metrópole. A Igreja assim contribui também com esta missão que é de todos nós. Dando passos simples, mas concretos, temos certeza de que a experiência pascal da morte e ressurreição de Cristo nos fará comprometidos, da mesma forma, com o planeta que habitamos, para que também ele experimente que pode renascer com o cuidado que os homens passam a ter com a natureza.
Concluo com a Oração Cristã com a Criação, presente na encíclica Laudato Sí’: “Nós Vos louvamos, Pai, com todas as vossas criaturas que saíram da vossa mão poderosa. São vossas e estão repletas da vossa presença e da vossa ternura. Louvado sejais! Filho de Deus, Jesus, por Vós foram criadas todas as coisas. Fostes formado no seio materno de Maria, fizestes-Vos parte desta terra, e contemplastes este mundo com olhos humanos. Hoje estais vivo em cada criatura com a vossa glória de ressuscitado. Louvado sejais! Espírito Santo, que, com a vossa luz, guiais este mundo para o amor do Pai e acompanhais o gemido da criação, Vós viveis também nos nossos corações a fim de nos impelir para o bem. Louvado sejais! Senhor Deus, Uno e Trino, comunidade estupenda de amor infinito, ensinai-nos a contemplar-Vos na beleza do universo, onde tudo nos fala de Vós. Despertai o nosso louvor e a nossa gratidão por cada ser que criastes. Dai-nos a graça de nos sentirmos intimamente unidos a tudo o que existe. Deus de amor, mostrai-nos o nosso lugar neste mundo como instrumentos do vosso carinho por todos os seres desta terra, porque nem um deles sequer é esquecido por Vós. Iluminai os donos do poder e do dinheiro para que não caiam no pecado da indiferença, amem o bem comum, promovam os fracos, e cuidem deste mundo que habitamos. Os pobres e a Terra estão bradando: Senhor, tomai-nos sob o vosso poder e a vossa luz, para proteger cada vida, para preparar um futuro melhor, para que venha o vosso Reino de justiça, paz, amor e beleza. Louvado sejais! Amém”.
E de nossa parte, damos graças a Deus e dizemos: em tudo dai graças a Deus pela sua obra criada em favor dos homens e das mulheres.

Fonte: http://arqrio.org/formacao/detalhes/904/cuidemos-de-nossa-casa-comum