Assembleias Vicariais

Assembleias Vicariais

segunda-feira, 31 de julho de 2017

Iniciação à Vida Cristã

D. Orani João Tempesta
Cardeal Arcebispo do Rio de Janeiro

Vivemos no sábado dia 29, o 8º. Congresso Arquidiocesano da Iniciação Cristã com o tema: “A alegria de iniciar discípulos missionários na mudança de época”. Além de aprofundar o documento da CNBB e refletir o que o documento de Aparecida diz sobre a mudança de época, esse congresso é chegada de muitos outros congressos ocorridos nas paróquias com esse tema cujas respostas e conclusões são compartilhadas nesse evento. Além das reflexões temos a oportunidade oficina temáticas ligadas ao tema que ajudam a aprofundar a preparação de cada participante.
É um assunto muito importante que conclui com chave de ouro este mês de julho, com seus muitos acontecimentos eclesiais que ocorreram neste ano e no passado em nossa Arquidiocese, quer em nível internacional, nacional e arquidiocesano e que agradecemos. No dia 28 há quatro anos tivemos a missa de envio dos jovens ao finalizar a JMJ Rio 2013. Neste mês também nesta área de formação tivemos o Curso de Férias para os Cristãos Leigos em vários locais de nossa Arquidiocese. Assim, além dos grandes eventos, o seguimento em grupos menores para aprofundar o conhecimento e a missão de cada batizado.
Aprofundamos neste Congresso Arquidiocesano da Iniciação Cristã o documento 107, da CNBB, aprovado na sua 55ª. Assembleia Geral de 2017, intitulado: Iniciação à vida cristã, itinerário para formar discípulos missionários. Para nós, que caminhamos há mais de 20 anos nesse itinerário cujos últimos planos de pastoral de conjunto assumiram como oficial de nossa Arquidiocese, ter um documento da Igreja do Brasil incentivando esse pedido do Concílio Vaticano II, é para nós de imenso valor.
No documento 107, o texto apresenta, já no primeiro capítulo, o itinerário a partir do “ícone bíblico” representado pelo encontro de Jesus com a Samaritana retratado no capítulo quatro do Evangelho de São João. Em seis passos, o documento apresenta os processos de iniciação ao discipulado de Jesus. O documento oferece novas disposições pastorais para a iniciação à vida cristã, presente nas Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora desde 2011. O documento sublinha que a dedicação em torno da temática revela o propósito de “buscar novos caminhos pastorais e reconhecer que a inspiração catecumenal é uma exigência atual”. Ela permitirá formar discípulos conscientes, atuantes e missionários.
Temos certeza de que cristãos que assumam o Evangelho com consciência e protagonismo pode ser o fermento na massa que necessitamos para ser um sinal para nosso país, estado e cidade conduzindo-nos para viver dias melhores. Temos certeza de que os cristãos têm uma resposta muito importante para a paz e para a vida. Com o testemunho de Santa Marta, cuja memória celebramos, que junto de Maria e de Lázaro, receberam Jesus em sua casa de Betânia, nos ensine a acolher Jesus em nossas vidas, a professar a fé como fez Santa Marta, a escutar o Senhor como Maria, sua irmã e a deixar-se ressuscitar como Lázaro que foi retirado da morte para a vida.
Nessa mudança de época, a leitura primeira dessa memória (cf. 1Jo 4,7-16), a consequência da evangelização é experimentar em nós o amor de Deus que nos amou primeiro. Deus é amor. Como consequência somos chamados a nos amar um ao outro. Neste tempo de caos econômico, político, ético e moral, que vivemos, os cristãos, que sofrem as mesmas dificuldades como todos os seus contemporâneos, sabem, porém, que o caminho é viver o Evangelho, levar o amor de Deus a todos, de forma que amando-nos mutuamente e vivendo a fé em Cristo, formemos verdadeiras comunidades cristãs que semeiam a paz e a caridade. “Foi assim que o amor de Deus se manifestou entre nós: Deus enviou o seu Filho único ao mundo, para que tenhamos vida por meio dele. Nisto consiste o amor: não fomos nós que amamos a Deus, mas foi ele que nos amou e enviou o seu Filho como vítima de reparação pelos nossos pecados. Caríssimos, se Deus nos amou assim, nós também devemos amar-nos uns aos outros. Ninguém jamais viu a Deus. Se nos amamos uns aos outros, Deus permanece conosco e seu amor é plenamente realizado entre nós. A prova de que permanecemos com ele, e ele conosco, é que ele nos deu o seu Espírito”(Cf. 1Jo 4,9-13).
Como transmissores da fé cristã, os que trabalham na iniciação cristã, devem anunciar: “E nós vimos, e damos testemunho, que o Pai enviou o seu Filho como Salvador do mundo. Todo aquele que proclama que Jesus é o Filho de Deus, Deus permanece com ele, e ele com Deus. E nós conhecemos o amor que Deus tem para conosco, e acreditamos nele. Deus é amor: quem permanece no amor, permanece com Deus, e Deus permanece com ele” (Cf. 1Jo 4,-14-16).
Para essa missão de iniciar a vida cristã, o evangelho da memória deste sábado nos indica caminhos (Jo 11,19-27): aprender a experimentar o amor de Deus, com o encontro com o Senhor. Betânia é o lugar onde Jesus e seus discípulos passaram muitas vezes. Esse episódio nos ensina, que iniciar a vida cristã significa acolher Jesus nas nossas vidas. Como Marta somos chamados a professar a nossa fé: “Sim, Senhor, eu creio firmemente que tu és o Messias, o Filho de Deus, que devia vir ao mundo”(cf. Jo 11,27).
No trabalho da iniciação cristã devemos levar as pessoas ao encontro do Senhor. Para isso precisamos escutar a voz do Senhor, acolher o Senhor, Aqui temos o exemplo de Maria que estava aos pés de Jesus para escutar a palavra de vida.
Chamados a acolher o Senhor, professar nossa fé que Jesus Cristo é o Salvador e Messias e sair da vida velha e das mortes de nossas vidas para uma vida nova aprendemos em Betânia com Marta, Maria e Lázaro.
Enfim, nesta memória de Santa Marta, participamos deste 8º Congresso Arquidiocesano da Iniciação Cristã (que sucede os Congressos de Catequese anteriores), neste ano que temos o documento oficial da Igreja no Brasil, o 107. Agora somos chamados a assumir este caminho com renovado ardor, incrementando, continuando, iniciando, incentivando, renovando e levando adiante essa missão alegre de iniciar discípulos missionários a vida de fé nestes tempos de mudança de época. Como consequência, sermos protagonistas de um mundo novo contagiado pelo Evangelho de Cristo que nos conduz ao Pai na ação do Espírito Santo.
Que Santa Marta interceda por nós e nos ajude, com muita alegria, para cumprir a nossa missão, como aqueles e aqueles que trabalham com a iniciação da vida cristã, para a transmissão da fé e a educação da vida cristã, sendo sal e fermento no mundo pelo testemunho da alegria do Evangelho.

Fonte: http://arqrio.org/formacao/detalhes/1834/iniciacao-a-vida-crista