Assembleias Vicariais

Assembleias Vicariais

quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

Retrospectiva 2013: Movidos pela fé no Cristo

“Um ano marcante na vida dos cariocas e do mundo”. Assim o bispo auxiliar da Arquidiocese do Rio Dom Pedro Cunha Cruz, que é o animador do Vicariato Urbano, descreveu o ano de 2013, que, segundo ele, foi repleto de atividades de evangelização. Para ele, o momento mais expressivo foi a Jornada Mundial da Juventude Rio2013.
“A JMJ é sempre um evento muito rico, não só para a diocese que é escolhida como sede, mas também para a Igreja do mundo inteiro. Em 2013, pela presença carismática do Papa Francisco, a Jornada mobilizou não somente os jovens, mas sensibilizou as pessoas que estavam afastadas da Igreja. A mensagem do Papa foi muito marcante e além da expectativa dos voluntários e peregrinos, conseguindo ecoar fora dos muros da Igreja”, afirmou.

Ao encontro do rebanho
As visitas pastorais são sempre a oportunidade do bispo de conhecer a rotina, os anseios e as características dos fiéis. Durante o ano de 2013, Dom Pedro passou por três comunidades da arquidiocese. São elas as paróquias Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, em Santa Cruz; São Judas Tadeu, em Bangu, e Nossa Senhora da Boa Esperança, em Honório Gurgel, duas no Vicariato Oeste e a última no Vicariato Suburbano.

Uma Igreja próxima
A missão de visitar e evangelizar os apenados do sistema presidiário cabe à Pastoral Carcerária, que Dom Pedro acompanha em nível de Regional Leste 1 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).
Segundo ele, o trabalho desta pastoral é muito importante, por ser a oportunidade de também ouvir os lamentos e necessidades enfrentados pelos diversos presidiários. Esse atendimento acontece regularmente, com a participação de agentes pastorais e sacerdotes, que celebram a Santa Missa nos presídios.
“É importante que a Igreja esteja próxima desses irmãos. Por isso, duas vezes ao ano, no período da Páscoa e do Natal, os bispos presidem para os apenados. Em 2013, tivemos momentos de importante crescimento na pastoral. No dia 18 de agosto, realizamos o encontro dos agentes do Regional Leste 1, contando com a participação de cem pessoas. Foi uma oportunidade de refletir sobre a situação que os nossos presidiários vivem hoje. No dia 26 de agosto, realizamos um curso de formação para novos agentes na Igreja de Sant’Ana, no Centro”, pontuou.

Sensibilizando o povo
Outro trabalho pastoral desenvolvido por Dom Pedro está ligado ao ensino da Doutrina Social da Igreja. Para ele, a organização de encontros de debates sobre os diversos documentos sociais é uma oportunidade de sensibilizar o povo de Deus para a riqueza dos mesmos, sobretudo para aqueles que têm pretensão de assumir alguma função política, ou também de assessoria.
“A cada ano nós estudamos os documentos sociais da Igreja para que seja possível se aprofundar no assunto. No ano de 2013, no dia 26 de setembro, tivemos a celebração de 50 anos da Encíclica “Pacem in Terris”, do Papa João XXIII. O encontro que realizamos para celebrar a data reuniu cerca de 250 pessoas no auditório do Edifício João Paulo II, sede da arquidiocese. Reunimos professores, políticos e diversas pessoas dos segmentos pastorais e sociais do Rio”, contou.

“Servo de Jesus Cristo”
Filho do casal Leopoldo Cruz e Juraci Cunha Cruz, Pedro Cunha Cruz nasceu no Rio de Janeiro, no dia 16 de junho de 1964, na cidade do Rio de Janeiro. Sua ordenação presbiteral foi realizada no dia 4 de agosto de 1990, na Catedral de São Sebastião.
Com o lema: “Servo de Jesus Cristo”, Dom Pedro foi nomeado bispo auxiliar do Rio no dia 24 de novembro de 2010, e sua ordenação episcopal aconteceu no dia 5 de fevereiro de 2011, na Catedral de São Sebastião, pelas mãos do arcebispo do Rio, Dom Orani João Tempesta.
Sua formação acadêmica é nas áreas de filosofia, tendo se formado pela Faculdade Eclesiástica de Filosofia João Paulo II, e de teologia, formado no Instituto Superior de Teologia da Arquidiocese do Rio de Janeiro, filiado à PUC.
Mestre em filosofia pela Pontifícia Universidade Santa Croce, em Roma, e em teologia, pela Pontifícia Universidade Gregoriana, em Roma, Dom Pedro é doutor em filosofia pela Pontifícia Universidade Gregoriana, com o título “Religião e Revelação: fenomenologia da experiência religiosa em Romano Guardini”.
Desde 2011, Dom Pedro é o animador da Iniciação Cristã, das pastorais sociais e de Liturgia, da Música e da Arte Sacras.
Professor de filosofia da PUC-Rio e do Seminário Arquidiocesano São José, Dom Pedro é ainda membro da Comissão Episcopal Especial do Colégio Pio Brasileiro de Roma. Também acompanha a Escola de Fé e Política e o curso de Doutrina Social da Igreja na Arquidiocese do Rio.