Retiro Arquidiocesano

Retiro Arquidiocesano

sexta-feira, 12 de junho de 2015

A devoção ao Sagrado Coração de Jesus

 (Madre Maria Helena Cavalcanti)

Sempre houve entre os cristãos o culto a pessoa de Nosso Senhor Jesus Cristo; mas a partir do século XVII esse culto se concentrou mais no seu Sagrado Coração. Como Ele mesmo disse a Santa Margarida Maria: “A DEVOÇÃO AO MEU DIVINO CORAÇÃO É O ÚLTIMO ESFORÇO DE MEU AMOR AOS CRISTÃOS DESTES SÉCULOS DERRADEIROS. ESTA DEVOÇÃO SERIAMENTE ENTENDIDA, FACILITARÁ A SALVAÇÃO DE TODOS EXCITANDO-OS A SE AMAREM MUTUAMENTE ENTRE SI, COMO EU OS AMEI. QUERO REINAR POR MEU DIVINO CORAÇÃO SOBRE A POBRE HUMANIDADE DESTES TEMPOS E REINAREI SEM EMBARGO DA OPOSIÇÃO DE SATANÁS E DE TODOS OS QUE ELE INSTIGA CONTRA MIM”.
No dia 16 de junho comemoramos o tricentenário da mais importante revelação de Nosso Senhor a Santa Margarida. Ela era uma humilde religiosa da Ordem da Visitação em Paray-le-Monial, na França, século XVII. Por três vezes Nosso Senhor lhe fez admiráveis revelações e mandou que fossem propagadas por todo o mundo. Já três séculos antes aparecera a Santa Gertrudes, monja beneditina, a quem revelou as maravilhas de Seu Divino Coração aos séculos futuros - quando a fé e a caridade tivessem enfraquecido. Na primeira revelação em 1673 mostrou todo amor que tem por nós e que precisa ser reconhecido e retribuído por todos.
Na segunda revelação em 1674 pediu que o culto a Seu Coração fosse um consolo pelo desprezo e frieza que recebeu dos homens e uma expiação pelos crimes do mundo.
Na terceira revelação pediu que se instituísse a festa do Sagrado Coração na primeira sexta-feira depois da solenidade de Corpus Christi, dizendo “EIS O CORAÇÃO AO QUE TANTO AMA OS HOMENS E A NADA SE POUPA PARA LHES PROVAR SEU AMOR ATÉ ESGOTAR-SE E CONSUMIR-SE E, EM TROCA SÓ RECEBO DA MAIOR PARTE DELES INGRATIDÕES, IRREVERÊNCIAS, SACRILÉGIOS E INDIFERENÇAS NO SACRAMENTO DO MEU AMOR”.
            Em favor das pessoas dedicadas a Seu Divino Coração fez as seguintes promessas:
1.   Eu darei aos devotos do meu Coração todas as graças necessárias a seu estado.
2.   Estabelecerei e conservarei a paz em suas famílias.
3.   Consolá-los-ei em todas as suas aflições.
4.   Ser-lhes-ei refúgio seguro na vida e principalmente na hora da morte.
5.   Lançarei bênçãos abundantes sobre todos os seus trabalhos e empreendimentos.
6.   Os pecadores encontrarão em meu coração fonte inesgotável de misericórdia.
7.   As almas tíbias tornar-se-ão fervorosas pela prática dessa devoção.
8.   As almas fervorosas subirão em pouco tempo a uma alta perfeição.
9.   A minha bênção permanecerá sobre as casas em que se achar exposta e venerada a imagem do meu Coração.
10.  Darei aos Sacerdotes que praticarem especialmente essa devoção o poder de tocas os corações endurecidos.
11.  As pessoas que propagarem essa devoção terão seus nomes escritos para sempre em meu Coração.
12.  A todos que comungarem nas primeiras sextas-feiras de nove meses consecutivos, darei a graça da perseverança final e da salvação eterna.
O Concílio Vaticano II insiste muito na vocação de todos os fiéis ao apostolado e preconiza a devoção do Sagrado Coração de Jesus.
Lacordaire, o grande pregador dominicano, dizia que se tivesse de prestar homenagem a alguma parte do corpo não seria a cabeça mas o coração. Os mais nobres sentimentos, os maiores projetos de generosidade saem do coração, pois é o coração que vê melhor, que vê mais longe.
O coração é o símbolo do amor e da bondade de que o mundo necessita. “        SÓ DEUS É BOM”; por isso “É BOM PARA MIM ADERIR A DEUS, FAZER UM SÓ ESPÍRITO COM ELE”, aplicar-me a ter seus costumes, esforçar-me por possuir “OS MESMOS SENTIMENTOS DE JESUS CRISTO”. Devemos, então, estudar Seu Coração, principalmente no Evangelho. Nosso Senhor possuía todas as virtudes no mais alto grau e quando quis propor um modelo não o escolheu a esmo, mas certamente procurou duas virtudes que realmente o caracterizam: “APRENDEI DE MIM QUE SOU MANDO E HUMILDE DE CORAÇÃO”.
Quando lemos nos Santos Evangelhos o episódio da mulher adúltera, de Madalena, de Zaqueu, o que mais nos toca é a mansidão e humildade de Jesus. Como sabia perdoar, como amava os fracos, os doentes e as crianças...
Esse coração é tão maravilhosos que até hoje tem atraído tantas pessoas através dos séculos. “DEPOIS QUE EU FOR ELEVADO TUDO ATRAIREI A MIM”.
Neste tempo de tantas guerras, tanta competição, agressividade, egoísmo, precisamos despertar em nós novamente a consciência de que o VERDADEIRO PROGRESSO É O DO CORAÇÃO. Enquanto não fizermos a REVOLUÇÃO DO CORAÇÃO as outras guerras de nada adiantarão.
Não é fácil ser bom. Às vezes nos tomam por bobos, ou por fracos, mas vale a pena acreditar que o homem é feito à Imagem e Semelhança de Deus, que possui a chama desse Divino Coração e anseia por amor e felicidade embora se saia tão mal nessa busca, procurando endereços errados.
Vivemos num século em que a técnica e a ciência fizeram grandes conquistas. A máquina substitui o homem em muitas coisas menos num gesto de bondade. É atrás desse gesto que todos nós andamos!
Ansiamos por uma bondade sincera, e não só de palavras e gestos exteriores, freqüentemente sem alma.
No mês de maio de prepara para a festa do Coração de Jesus, desejamos ser formados pelo Espírito Santo no seio dessa Mãe tão doce que o Concílio Vaticano II proclama MÃE E MESTRA DA IGREJA.
Que mais uma vez ela nos conduza a Seu Filho, ela cujo Coração é o mais parecido dom  o Divino Coração. Qual Mãe cuidadosa, nos torne a nós, seus outros filhos um pouco mais parecidos com seu Primogênito para que realmente o Coração de Jesus seja o “REI E CENTRO DE TODOS OS CORAÇÕES”  e nós formemos uma Família cristã com “UM SÓ CORAÇÃO E UMA SÓ ALMA”.



DEVEMOS VER DEUS NOS ACONTECIMENTOS MESMO DOLOROSOS.
ALGUÉM QUE JÁ MORREU POR NÓS NA CRUZ, TEM O DIREITO
DE NÃO EXPLICAR TUDO.
  



Publicado na revista “O DEHONISTA” número 21 - Junho de 1975